Adolescente vítima de estupro coletivo está jurada de morte


A adolescente de 16 anos que foi vítima de estupro coletivo no Morro do Barão, na zona oeste do Rio, teria sido jurada de morte por traficantes que atuam na região e que teriam participado do abuso sexual contra a menina.

Por conta disto, ela foi incluída no Programa de Proteção à Criança e ao Adolescente Ameaçado de Morte, do governo federal, juntamente com sua família. Além da jovem de 16 anos, o programa irá dar nova casa e segurança aos seus familiares mais próximos, que moravam com ela em um apartamento de classe média na Praça Seca. No local viviam a vítima do estupro coletivo, juntamente com a mãe, o pai, o irmão de 6 anos, e o filho dela de 3 anos. Antes da inclusão no programa federal que a defende neste momento, a família já estava contando com proteção policial para evitar retaliações dos traficantes.

Paulo Melo, que é Secretário Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos, revelou que a menina está assustada, mas disposta a mudar de vida, além de informar também que ela não terá smartphone e nem computador com acesso à internet para que não entre em contato com pessoas que possam descobrir seu paradeiro. Em um primeiro momento a família foi levada para Brasília, e depois seguirá para um outro local que não vai ser revelado e pode ser em qualquer lugar do país.

A polícia tem realizado operações constantes no entorno da Praça Seca, incluindo o Morro do Barão, o Morro São José Operário e outras comunidades próximas.

Be the first to comment on "Adolescente vítima de estupro coletivo está jurada de morte"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*