Clínica da Família da Abolição


Unidade beneficiará 21 mil moradores da região com cinco equipes de saúde

Clínica da Família da Abolição - Foto: Divulgação / Prefeitura do Rio

Clínica da Família da Abolição – Foto: Divulgação / Prefeitura do Rio

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) inaugurou na manhã desta quarta-feira, 1º de junho, a Clínica da Família Luiz Celio Pereira, na Rua da Abolição, n° 303. Com cinco equipes de saúde da família e três de saúde bucal, a nova unidade beneficiará 21 mil moradores da comunidade Trajano, com as equipes Fernando Simoni, Coimbra da Luz, Abolição, Macedo Braga e Casimiro de Abreu. A unidade funcionará de segunda a sexta, das 8h às 20h e sábado, das 8h às 12h. O investimento foi de R$ 5,2 milhões.

“Hoje, 22% do orçamento da Prefeitura vai para a Saúde. São R$ 5 bilhões. Em 2009 eram R$1,2 bilhões”, ressaltou o prefeito Eduardo Paes ao saudar os profissionais que trabalharão na unidade e a população que foi participar da inauguração da clínica.

O secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, falou sobre a importância da nova unidade para o bairro: “Com essa inauguração, o bairro da Abolição passa a ter 100% de cobertura de saúde da família. Os moradores poderão resolver aqui 80% de seus problemas de saúde”.

Na nova clínica da família, os pacientes terão atendimento clínico, tratamento para diabetes, hipertensão, pré-natal, exames laboratoriais, saúde bucal, cuidados com a saúde da criança e vacinação, entre outros. Também poderão retirar gratuitamente medicamentos e insumos. As clínicas da família contam com ultrassonografia, raio-x, salas de observação clínica, procedimentos, curativos, coleta, farmácia e almoxarifado.

A nova unidade faz parte da Área de Planejamento (AP) 3.2, que abrange os bairros do Méier, Inhaúma, Higienópolis, Maria da Graça, Del Castilho, Engenho da Rainha, Tomás Coelho, São Francisco Xavier, Rocha, Riachuelo, Piedade, Sampaio, Engenho Novo, Jacaré, Lins de Vasconcelos, Todos os Santos, Cachambi, Engenho de Dentro, Água Santa, Encantado, Jacarezinho, Pilares e Abolição. Com a inauguração, a AP 3.2 passa a ter 52% de cobertura de saúde da família, com 32 unidades na região, sendo 11 clínicas da família, nove centros municipais de saúde, uma policlínica, um centro de reabilitação, dois hospitais, cinco centros de atenção psicossocial, um instituto psiquiátrico, uma UPA e uma maternidade.

A coordenadora de saúde da área, Claudia Nastari, falou de sua realização ao entregar a nova clínica da família para a população da Abolição: “Essa unidade foi muito esperada. Nossa área tem crescido muito na atenção à saúde. Em 2009 tínhamos apenas uma equipe de saúde da família, era uma região esquecida. Hoje chegamos a 97 equipes, com mais de 270 mil pessoas cobertas.”

O nome da unidade é uma homenagem a Luiz Celio Pereira, que foi morador do Conjunto dos Ferroviários desde a sua inauguração, sendo militante da saúde e educação da área. Quando ocorreram problemas de arrombamentos no Centro Municipal de Saúde (CMS) Eduardo Araújo Vilhena Leite, em 2005, mobilizou a população fazendo um abaixo assinado para garantir a segurança. Foi também responsável pela manutenção do local da unidade de saúde após a construção da Linha Amarela e também lutou para a construção da Escola Hélio Smith.

A cidade do Rio passa a contar com 89 clínicas da família em todas as regiões. Trata-se de um projeto inovador, criado em 2009, que permitiu a expansão histórica da Estratégia de Saúde da Família (ESF) no município. Com a implantação das clínicas, o Rio saiu de 3,5% de cobertura de saúde e se tornou nos últimos anos a capital responsável por mais da metade de todas as equipes de ESF criadas no país. Hoje, 55% dos cariocas têm cobertura de saúde integral e a Prefeitura pretende ampliar esse valor para 70% até o fim de 2016.

Be the first to comment on "Clínica da Família da Abolição"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*