Colégio Pedro II passa a aceitar nome social de alunos transexuais


A unidade da Tijuca do Colégio Pedro II passou a aceitar o nome social de alunos transexuais. O colégio que possui gestão federal, foi o primeiro da rede pública de ensino a aceitar o nome social, que é adotado por pessoas que possuem identidade de gênero diferente do sexo de nascimento. Ou seja, se um homem se identifica como mulher, se sente como mulher, ele pode ser chamado por um nome feminino de sua escolha. O mesmo vale para as meninas que se veem como homens ou que não se identificam com o sexo feminino, e portanto, poderão ser chamadas pelo nome de homem que escolheu. Este nome é chamado de “nome social” pois na maioria dos casos ainda não consta de documentos, mas é como a pessoa se sente bem sendo chamada.

Colegio Pedro II na Tijuca - Imagem: Google Street View / Reprodução

Colegio Pedro II na Tijuca – Imagem: Google Street View / Reprodução

O Colégio Pedro II com esta iniciativa passa a ser o o primeiro da rede pública no Rio a comunicar o cumprimento do decreto da presidente afastada Dilma Rousseff, que permite o uso do nome social por travestis e transexuais em órgãos e entidades da administração pública federal. Além do nome, os alunos e alunas que desejarem, poderão utilizar o uniforme de sua preferência, já que no Pedro II o uniforme feminino é composto de saia e o uniforme masculino é composto de calça. Isso resolve um problema ocorrido há dois anos na unidade, quando uma aluna trans do colégio foi assistir a aulas de saia e a direção sugeriu que ela trocasse pela calça. A partir deste momento a escolha do uniforme será livre.

Be the first to comment on "Colégio Pedro II passa a aceitar nome social de alunos transexuais"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*