Exposição “Nunca Fui Santa” – Guilherme Araújo


No dia 15 de setembro o Gabinete de Leitura Guilherme Araújo, na casa onde o célebre empresário e produtor morou nos seus últimos 30 anos de vida, em Ipanema, e à época um dos endereços mais animados da cidade, abriu suas portas com uma exposição da fotógrafa Thereza Eugênia.

Nunca Fui Santa - Guilherme Araujo - Foto: Divulgação

Nunca Fui Santa – Guilherme Araujo – Foto: Divulgação

Com curadoria da própria artista, a expo revisita as várias fases da vida de Guilherme em 60 fotos clicadas por Thereza, que o acompanhou em todas as suas realizações desde a volta de Caetano e Gil do exílio em 72 até o fim de sua vida, em 2007: “Ele era um apaixonado por fotografia, fazia questão que tudo sempre ficasse registrado. Então eu fui o ‘selfie’ de Guilherme quando tudo ainda era feito manualmente, sem as facilidades das máquinas inteligentes de hoje”, revela Thereza.

Figura fundamental na co-criação da Tropicália e na consolidação do grupo baiano no cenário da MPB, Guilherme começou no teatro, foi pra Tupi, passou pela gravadora Elenco, virou empresário de Bethania, Gal, Caetano e Gil, entre outros, e nos anos 80 criou algumas das festas mais memoráveis da cidade. Numa época em que o Sambódromo ainda não existia e os bailes eram a grande sensação do carnaval, Guilherme reunia em suas festas celebridades e anônimos dos mais variados tipos e estratos sociais: Gala Gay, Sugar Loaf Carnival Ball, Jeca Chic e outras!

Famoso também por chamar a todos de “meu querido”, fosse um velho amigo, ou um novo conhecido, Guilherme era muito carismático e tinha um espírito eternamente festeiro. Mestre em saber misturar o sofisticado com o popular, o elegante com o brega, foi um personagem único do Rio de Janeiro. Cunhou a expressão “Nunca fui santa”, que ele repetia sempre e que dá nome a esta mostra. A expressão também teria sido o titulo de sua biografia, que não pode ser terminada por conseqüência de sua morte e também da morte da biógrafa, a jornalista Mara Caballero, uma logo depois da outra.

As fotos expostas na casa contemplam 40 anos de registros, mas focam principalmente nesta época de ouro do empresário, sempre com muita música e muita festa, e na qual Guilherme brilhava entre toda a “fauna e a flora” da cidade do Rio de Janeiro, e visitantes de todo Brasil e do mundo. A mostra também inclui um vídeo com mais de 100 fotos de Thereza, em looping, que abrangem essas quatro décadas.

Embora sob o nome Gabinete de Leitura Guilherme Araújo, que ele colocou por achar da maior elegância, Guilherme deixou a casa para o Estado RJ / FUNARJ com fins culturais diversos, e por isso ela vai abrigar, em breve, lançamentos de livros, CDs, pequenas exposições, cursos, saraus, etc, além de sua biblioteca, é claro, e também um café.

https://www.facebook.com/Gabinete-de-Leitura-Guilherme-Ara%C3%BAjo-755256771264041/timeline/?ref=ts

Serviço
Expo – “Nunca Fui Santa”, Guilherme Araújo
Gabinete de Leitura Guilherme Araújo
Rua Redentor, 157, Ipanema
De segunda à sexta, das 11h às 18h, grátis
Classificação livre
A exposição fica em cartaz até janeiro de 2016
Tel infos: 21-2523-0676

Be the first to comment on "Exposição “Nunca Fui Santa” – Guilherme Araújo"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*