Operação Centro Presente vai reforçar policiamento no Centro do Rio


Prefeitura do Rio, Governo do Estado e Fecomércio RJ lançaram Operação Centro Presente.

Iniciativa contará com mais de 500 agentes e beneficiará áreas revitalizadas do Centro do Rio.

A Prefeitura do Rio, em parceria com a Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos e com o Sistema Fecomércio RJ, inicia a partir do dia 2 de julho a Operação Centro Presente, que reforçará o patrulhamento com a presença ostensiva de 528 agentes de segurança (entre policiais militares e agentes civis) nos principais corredores do Centro, entre a Região Portuária e o entorno do MAM e Aeroporto Santos Dumont. A ação segue o modelo das operações já realizadas na Lapa, Aterro, Lagoa e Méier, e contará com o uso de bicicletas, motos, vans e viaturas, além do patrulhamento a pé.
A operação prevê investimento anual de R$ 47 milhões, que compreende o pagamento do salário das equipes e despesas operacionais, como uniformes, materiais e combustível. O custo será dividido entre a Prefeitura do Rio e a Fecomércio RJ, que já possui parceria com o Governo do Estado no Aterro Presente, Lagoa Presente e Méier Presente. As equipes são formadas por policiais militares da ativa e da reserva e agentes civis egressos das Forças Armadas, que serão coordenadas pela Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos. O reforço que chega à região central será maior do que as quatro operações juntas já realizadas nos outros quatro bairros.

Operacao Centro Presente - Foto: Divulgação / Tarso Ghelli

Operacao Centro Presente – Foto: Divulgação / Tarso Ghelli

As equipes também utilizarão câmeras para filmar as abordagens e serão monitoradas por GPS, como já acontece nas demais operações Segurança Presente, dando mais credibilidade às ações. Está prevista uma central própria de emergência e sistemas integrados ao Centro de Operações Rio (COR). Além disso, os policiais usarão, preferencialmente, equipamentos de menor potencial ofensivo, como armas de choque e spray de pimenta. A operação funcionará diariamente, das 6h30 às 22h30 e, ao todo, terá 66 bicicletas, 24 motos e 15 viaturas (carros e vans), divididos em três áreas, em uma região totalmente revitalizada pela Prefeitura do Rio:

Área A (total de 168 agentes) – da recém-inaugurada Orla da Guanabara Prefeito Luiz Paulo Conde, na região portuária, a partir da Rua Silvino Montenegro, Av. Venezuela, Praça Mauá, Av. Rio Branco (até a Av. Pres Vargas), Candelária e entorno do 1º Distrito Naval;

Área B (216 agentes) – Quadras do entorno da Av. Rio Branco, a partir da Av. Presidente Vargas até a Av. Nilo Peçanha, incluindo Ruas da Assembleia e São José, Uruguaiana, Largo do Paço, entorno do Tribunal de Justiça e Praça XV;

Área C (144 agentes) – Entorno do trecho da Av. Rio Branco, a partir da Av. Nilo Peçanha até a Av. Beira Mar, Rua México, Av. Graça Aranha, Largo da Carioca, Cinelândia, Rua Senador Dantas (até o Passeio Público), Rua Santa Luzia, Av. Presidente Wilson e Av. Beira Mar (do Monumento dos Pracinhas até o entorno do Aeroporto Santos).

Em todas as áreas, o patrulhamento a pé, de bicicleta e de moto será feito em trios, formado por dois policiais e um agente civil. As rondas em viaturas serão realizadas por duplas, sendo um policial e um civil.
Para o secretário municipal de governo, Pedro Paulo, trabalhar em parceria com o Governo do Estado e a iniciativa privada é fundamental. “Em um momento em que estamos devolvendo uma área histórica à população, para que tenha no Centro da cidade e na região portuária espaços públicos de lazer seguros, o reforço no policiamento é indispensável. Por isso, a Prefeitura do Rio não mediu esforços em apoiar a operação Centro Presente”, explicou Pedro Paulo, que apresentou dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), analisados pelo PENSA, a sala de ideias da Prefeitura do Rio, que utiliza os dados para buscar soluções.

O secretário estadual de Assistência Social e Direitos Humanos, Paulo César Melo de Sá, destaca a experiência positiva das operações criadas em outras regiões para a ampliação da estratégia para mais uma área: “Este modelo de segurança, com participação da sociedade, entidades públicas e privadas, juntos do mesmo lado, tem mostrado que estamos no caminho certo. Em quase seis meses das operações na Lagoa, no Aterro e no Méier, mais de 1.400 pessoas foram presas e 100 foragidos da Justiça foram capturados. Este resultado surpreendente nos faz avançar para o Centro”, explica.

A Operação Centro Presente, assim como as demais operações similares, tem caráter permanente e consolida a parceria da Fecomércio RJ com o governo: “A segurança pública é um dos temas mais importantes para nós e toda a sociedade. É o fator-chave, a partir do qual se melhora o ambiente empresarial, a imagem de cidades e de estados. Nós, do Sistema Fecomércio do Rio, apostamos que o investimento nas operações de Segurança Presente traz uma contribuição de interesse público, gerando mais qualidade de vida para as pessoas e para os negócios”, afirma Orlando Diniz, presidente da instituição, ressaltando que o programa foi inspirado no que foi realizado pelo prefeito de Nova York, Rudolph Giuliani, no início dos anos 2000.

A ação conta com a participação de diversos órgãos: Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, Polícia Militar, Polícia Civil, Comando Militar do Leste, Secretaria Executiva de Coordenação de Governo da Prefeitura, Guarda Municipal, secretarias municipais de Ordem Pública, de Desenvolvimento Social, de Conservação, de Transportes e Comlurb.

Be the first to comment on "Operação Centro Presente vai reforçar policiamento no Centro do Rio"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*